Mudamos de endereço!

Imagem

Olá, muito obrigado por você ter acessado o nosso blog nesses dois últimos meses, mas o blog precisava de algo novo, nome diferente, algo que poucos pensassem nisso, foi assim que cheguei numa idéia…

Afinal, qual é a página que marcou sua vida? Já reparou que todos os livros que lemos sempre começa a ficar intererssante – ou passa a fazer algum sentido – a partir da sétima página? ou aquela novela que você tanto gostou – ou gosta – de assistir? Você só passa a querer acompanhar direito o enredo a partir do sétimo capítulo. Antes de novela ser uma novela era antes um livro.

Por isso queria fazer um blog de pensamentos mas que não levasse o meu nome no endereço, e sim algo que fosse marcante na vida de todos, por isso o blog passa a se chamar “PÁGINA 7“.

Diversas vezes algo que foi escrito aqui – não somente por mim – ajudou alguém ou mudou o jeito de pensar de alguma pessoa, são vários os motivos que levam a troca de endereço e de nome, mas com a mesma essência que é estimular você leitor a observar a vida de uma forma diferente e o blog continua com a mesma proposta: ser um Espaço para Pensar e Refletir.

Por mais que os posts antigos estejam também no novo blog, decidi deixar uma cópia no antigo endereço para que os links já salvos na Página do Facebook não quebrem, repostar tudo levaria semanas.

O nosso novo endereço é:
http://paginasete.wordpress.com/

Nos encontramos no Página 7, até lá!!!

Advertisements

O poder das palavras

Olá, todas as vezes que eu vou conversar com alguem, sempre costumo reparar no que eu digo – no calor da emoção é meio dificil, admito – mas é como eu digo: “Palavras são como flechas”, tudo o que digo poderá ou não ter um peso forte em cima da pessoa.

last-picture-of-the-titanic

Titanic é, sem dúvidas, um bom filme, bem produzido e tudo – tirando o excesso de romantismo – mas, contudo foi um excelente filme. Aí você me pergunta: O que o Titanic tem a ver com esse tema?

Quando eu assisti esse filme eu reparei uma coisa muito importante que é o que o “Jack” disse para “Rose” quando ela já havia perdido as esperanças de alguém vir socorrer os que estavam no oceano, ele disse o seguinte:

“Você não vai morrer aqui, vai ter muitos filhos e netos, vai morrer velhinha numa cama bem quentinha, não aqui, não agora, não nesse lugar!”

Essas coisas de fato aconteceram, exatamente do jeito que ele havia dito, e é assim que acontece na vida real, o que você diz a alguém corre o risco de acontecer, tanto pro bem, quanto pro mal, não é estranho mães que chamam os filhos de praga, peste, burro etc, e logo mais eles na frente se tornam verdadeiros delinquentes e mais pra frente marginais e criminosos, o que você diz tem tanto o poder de abençoar ou amaldiçoar as pessoas tanto os outros como a você mesmo, mas com um detalhe: o que você disser para os outros, volta a você mesmo em dobro.

Não somos nada

Em novembro de 2012 estava eu, voltando de mais um dia de curso exausto e morrendo de fome, estava com muita pressa. Nesse dia, chegando numa passarela chamada “Passarela da Caracol” eu vi um senhor andando muito debilitado, levando quase toda hora esbarrões das pessoas ao redor, passei por ele e dei boa tarde, mas na hora voltei atrás e decidi ajudar.

H6111

Mesmo ele dizendo que não precisava eu pedi para que ele apoiasse a mão dele no meu ombro, bem devagar atravessamos aquela passarela, mas foi recompensante toda a travessia, ele que apesar de ter 96 anos de idade, se lembrava da cidade de Nova Iguaçu na época em que era chamada de Cidade-Perfume por causa dos laranjais, e de como a cidade em que ele morou praticamente a vida toda se desenvolveu, das vastas lavouras aos belos prédios e edifícios, da estrada de terra ao asfalto, e como aos poucos a cidade se transformou em menos de 100 anos.

Depois da travessia, insisti pra que eu o ajudasse a atravessar a rua do ponto, já que ele quase foi atropelado, fiquei feliz e ao mesmo tempo pensativo pois vi que não somos nada, o tempo passa e nós sempre seremos dependentes, do pó nascemos e para ele um dia iremos retornar.

De uma forma ou outra aprendemos com a vida a sermos mais humildes, a respeitar a hora de que o tempo passou, de observarmos o que realmente está ao nosso redor, de estender a mão a um alguém desconhecido, se estar no lugar de quem um dia você rejeitou ajuda.

Portanto pense antes de dizer “não” por estar com pressa, afinal o amor é um simples gesto de afeto e carinho de cada vez.

Ninguém é superior a ninguém

Certo dia, uma mulher avistou um mendigo, sentado em uma calçada nas ruas de São Paulo…
Aproximou – se dele, e como o pobre coitado, já estava acostumado a ser chacoteado por todos a ignorou…

Um policial, observando a cena, aproximou – se:
– Ele está te incomodando senhora?

Ela respondeu:
– De modo algum, eu é que estou tentando levá-lo até aquele restaurante, pois vejo que está com fome e até sem forças para se levantar. O senhor me ajuda senhor policial a levá-lo até o restaurante?

Rapidamente, o policial a ajudou e o pobre homem, mesmo assim não querendo ir, pois não acreditava que isso estava acontecendo. Chegando ao restaurante o garçom que foi atendê-los, disse sem pestanejar:
– Me desculpe Senhora, mas ele não pode ficar aqui… Vai afastar os meus clientes!

A mulher abaixou e levantou os olhos e disse:
– Sabe aquela enorme empresa ali na frente – apontou com o dedo – três vezes por semana, os diretores de lá juntamente com clientes vem fazer reuniões nesse restaurante, e sei que o dinheiro que deixam aqui é o que mantém esse restaurante. Pois é, eu sou a proprietária daquela empresa. Posso fazer a refeição aqui com o meu amigo… Ou não?

O garçom fez um gesto positivo com a cabeça, o policial que estava de longe observando ficou boquiaberto e o pobre homem deixou cair nesse momento uma lágrima de seus sofridos olhos.

Quando o garçom se afastou, o homem perguntou:
– Obrigado Senhora, mas não entendo esse gesto de bondade.

Ela segurou em suas mãos, e disse:
– Não se lembra de mim, João?
– Me parece familiar – respondeu – mas não me lembro de onde.

Ela, com lágrimas nos olhos, disse:
– Há algum tempo atrás, eu recém-formada vim para São Paulo… Sem nenhum dinheiro no bolso… Estava com muita fome… Sentei-me naquela praça aqui em frente, por que tinha uma entrevista de emprego naquela empresa onde hoje é minha. Quando se aproximou de mim um homem com um olhar generoso. Lembra-se agora João?

Ele, em lágrimas afirmou que sim.

– Na época o senhor trabalhava aqui, naquele dia fiz a melhor refeição da minha vida, pois estava com muita fome e até sem forças. Toda hora eu olhava para o senhor pois estava com medo de prejudicá-lo, pois estava ali comendo de graça. Foi quando vi o senhor tirando dinheiro do seu bolso e colocando no caixa do restaurante, fiquei mais aliviada. E sabia que um dia poderia retribuir, alimentei-me e fui com mais forças para a minha entrevista. Na época, a empresa ainda era pequena… Passei na entrevista, me especializei, ganhei muito dinheiro, acabei comprando algumas ações da empresa, e com o passar do tempo consegui virar a proprietária e fazer a empresa ser o que ela é hoje.
Procurei pelo senhor mas nunca o encontrei… Até que hoje, o vi nessa situação. Hoje o senhor não dorme mais na rua… Vai comigo para a minha casa… Amanhã compraremos roupas novas, e o senhor vai vir trabalhar comigo…

Abraçaram-se, chorando.

O policial, o garçom e os demais, que viam essa cena, se emocionaram diante da grande lição de vida, que tinham acabado de presenciar!

MORAL DA HISTÓRIA:
Faça sempre o BEM… Um dia ele retornará em dobro para você.

Texto retirado e adaptado de uma página da rede social Facebook.

De pés cansados…

B1tch

Imagem retirada da página “B1tch”

Estava vendo essa imagem e me lembrei do ano passado, quando conheci em 2012 uma garota que sempre vivia correndo pra lá e pra cá, ela mesmo se dedicando aos estudos tentava manter a beleza em dia, porém era inevitável ver os sapatos, ela que não tinha tempo para quase nada, mal tinha tempo de ver coisas como essa.

Era admirável a situação, pois era difícil ver uma garota de dezenove anos se dedicar aos estudos e correr atrás com um leve atraso de um sonho, principalmente do fato de uma garota dessa idade já ter filhos ou morar com algum cara, ela além de morar com a mãe, fazia nove cursos por semana, era muita sorte encontrá-la em casa e se encontrava ela já estava de saída.

Era assim todos os dias, de segunda a sábado, mal saia de um curso e entrava noutro.

Mesmo sendo visíveis os sinais de cansaço, ela sempre dizia que não podia parar nunca, afinal o sonho de ingressar numa faculdade é um tanto distante para quem mora na baixada fluminense no RJ, mesmo pertencendo à região metropolitana do estado, é um local esquecido, mal visto, e chamado de “fim-de-mundo” por muitos, ter um emprego com salário maior que R$ 5000,00 ou ingressar numa faculdade não é fácil.

“Não se perde tempo com coisas supérfluas quando se quer o sonho realizado…”

Em mais um dia de aula normal me encontro com ela no ônibus, ela me recepciona sorridente, e reclamando da falta de tempo, muitos trabalhos de escola ainda por fazer e o prazo de entrega cada vez mais próximo, professores enchendo a paciência entre outras coisas, ela estava saindo de um curso e a caminho do curso técnico, depois tinha ainda mais coisa pela frente, depois de uma conversa rápida nos despedimos, ela a caminho do curso técnico e eu para o pré-vestibular.

Chega à época mais temida dos estudantes – O dia do Enem – ela transparecia calma nesse dia, e depois de tudo quando sai o resultado uma tristeza: sua nota ficou entre 415~485pts muito abaixo da média para conseguir uma bolsa que era 680pts ao invés de ficar triste saiu disparando uma torrente como: “o governo investe pouco e quer que a gente tenha um ensino de qualidade”.

Porém, pouco tempo depois a alegria, ela consegue passar no vestibular da Unigranrio e o sonho – parte dele – se realiza, finalmente ela pode ver o resultado de todo seu esforço.

Não se perde tempo com coisas supérfluas quando se quer o sonho realizado, perde-se agora, mas no final, se ganha ainda mais.

Não vale a pena mudar o passado

Todas as consequências da vida me levaram a pessoas boas e ruins, mas que com elas aprendi ou muito ou pouco, então não me arrependo em nada.

“Atos geram consequencias num futuro bem próximo”

Acho que a mina vida teria sido muito sem graça se eu tivesse tomado a decisão de voltar ao passado e mudar algo, é como uma fórmula de matemática, se altera algum valor no início, o resultado será outro, quem é antipático é provável que termine sozinho, assim como quem é amigavel é provável que seu futuro seja ao redor de amigos.

Pense comigo: se você não tivesse se queimado no fogão, você não teria aprendido a não brincar com o fogo, ou se você não tivesse caído no chão tentando andar de bicicleta, você não teria aprendido a andar nela.

Veja seu passado e tire o bom do ruim, pegue o bom e guarde, já o ruim você tem exemplo do que não fazer de novo, seus atos geram consequencias num futuro bem próximo! Pense nisso.

A alegria das quatro estações

4estacoes_01

Um homem morava no deserto e tinha quatro filhos ainda adolescentes e querendo que aprendessem a valiosa lição da não precipitação nos julgamentos mandou-os para uma terra onde havia muitas árvores, mas os enviou em diferentes épocas do ano, o primeiro filho foi no inverno, já o segundo na primavera, o terceiro no verão e o mais novo no outono.

Quando o último deles voltou, o pai os reuniu e pediu que relatassem o que tinham visto.

O primeiro filho disse que as árvores eram feias, meio curvadas, sem nenhum atrativo. O segundo discordou e disse que na verdade as árvores eram muito verdes e cheias de brotinhos, parecendo ter um bom futuro. O terceiro filho disse que eles estavam errados, porque elas ficavam repletas de flores com um aroma incrível e uma aparência maravilhosa. Já o mais novo disse que as árvores estavam cheio de vida e substância.

Aquele pai então explicou aos seus filhos adolescentes que todos estavam certos, pois, na verdade, eles viram as mesmas árvores em diferentes estações daquele mesmo ano.

O pai disse que não se pode julgar uma árvore ou uma pessoa por apenas uma estação ou uma fase da vida. Ele explicou que a essência do que elas são a alegria, o prazer, o amor, mas também as fases aparentemente ruins que vêm daquela vida só podem ser medidas no final da jornada  quando todas as  estações forem concluídas. Se você desistir quando chegar o inverno, você vai perder as promessas da primavera, a beleza do verão e a plenitude do outono.

Não permita que a dor de apenas uma “estação” destrua a alegria de todas as outras.
Não julgue a vida apenas por uma fase. Persevere em seus caminhos dificultosos e épocas melhores virão com certeza.
Viva de forma simples e ame generosamente, fale educadamente e deixe o restante com Deus.

A felicidade nos mantém doce. As dores nos mantêm humanos.
As quedas nos mantêm humildes. O sucesso mantém você brilhante.
As provações o mantém forte.

Talita Sant’Anna