Mudamos de endereço!

Imagem

Olá, muito obrigado por você ter acessado o nosso blog nesses dois últimos meses, mas o blog precisava de algo novo, nome diferente, algo que poucos pensassem nisso, foi assim que cheguei numa idéia…

Afinal, qual é a página que marcou sua vida? Já reparou que todos os livros que lemos sempre começa a ficar intererssante – ou passa a fazer algum sentido – a partir da sétima página? ou aquela novela que você tanto gostou – ou gosta – de assistir? Você só passa a querer acompanhar direito o enredo a partir do sétimo capítulo. Antes de novela ser uma novela era antes um livro.

Por isso queria fazer um blog de pensamentos mas que não levasse o meu nome no endereço, e sim algo que fosse marcante na vida de todos, por isso o blog passa a se chamar “PÁGINA 7“.

Diversas vezes algo que foi escrito aqui – não somente por mim – ajudou alguém ou mudou o jeito de pensar de alguma pessoa, são vários os motivos que levam a troca de endereço e de nome, mas com a mesma essência que é estimular você leitor a observar a vida de uma forma diferente e o blog continua com a mesma proposta: ser um Espaço para Pensar e Refletir.

Por mais que os posts antigos estejam também no novo blog, decidi deixar uma cópia no antigo endereço para que os links já salvos na Página do Facebook não quebrem, repostar tudo levaria semanas.

O nosso novo endereço é:
http://paginasete.wordpress.com/

Nos encontramos no Página 7, até lá!!!

Amigos distintos

ser-amigo-e

Éramos amigos e tornamo-nos estranhos um ao outro.
Está bem, não nos esconderemos nem dissimularemos nada um ao outro,
não temos de chorar por coisa nenhuma.

Somos dois navios, cada um tem o seu caminho e o seu destino.
Cruzamo-nos por acaso, celebramos juntos uma grande festa
e então esses dois corajosos navios repousaram,

Tão tranquilamente no mesmo porto e sob o mesmo sol que parecia terem os dois atingido um objetivo que lhes era comum.

Mas a força poderosa do nosso dever expulsou-nos novamente para mares e sóis diversos e talvez não nos vejamos mais, ou então, voltar-nos-emos a nos ver sem nos reconhecermos: os mares e os sóis diferentes ter-nos transformado.

Diego Braitelle Diegues

Valor de um coração

criancas ternura

Você sabe qual é o valor de um coração?
Sabe o que significa quando esse coração abriga uma pessoa?
E se essa pessoa fosse você? Aceitaria esse abrigo?
E se aceitar vai cuidar dele de verdade?
Ou vai apenas iludir a pessoa que leva esse coração,
onde quis te abrigar com todo carinho?
Pense nas suas escolhas, e cuidado para nao machucar esse coração,
o mesmo que acolhe com carinho, pode te expulsar com todo ódio possivel.

Flávia Fernandes

Lágrimas dos meus olhos

andando na chuva

Dia nublado com uma fina chuva,
que cai sobre meu rosto escondendo as lágrimas que escorrem dos meus olhos,
que choram de tristeza por nao ter aquilo que se desejava,
seguindo em frente nesse caminho onde tantas pessoas passaram, onde algumas ficaram
e por esse caminho que encontrarei um lugar que nao haverá esse dia nublado,
com uma chuva fina onde me faz lembrar de coisas tristes
e no final desse caminho encontrarei o que realmente desejava.

Flávia Fernandes

Noite de Inverno

136897_Papel-de-Parede-Nova-York--136897_1280x800

Numa noite, apesar do frio me sento na varanda para admirar o céu, pois estava sem núvens e a lua era cheia e brilhante.

Olho para cada estrela que na minha mente forma seu rosto que sorri para mim,
os ventos que sopram como sua voz em meus ouvidos,
e tocam em minha pele como o toque de suas mãos.

Minha respiração que sopra como fumaça e se desfaz nos ventos,
nessa noite fria, queria poder fazer companhia a ti para te acariciar, te aquecer além do chocolate quente e ser sua companhia no seu descansar.

Apesar da distância estou contigo e o quanto antes quero estar ao seu lado.

O que restou de nós?

rosa_d_inverno

Acordo todos os dias pensando no que restou de nós.

Depois de todas as alegrias,
O que restou de nós?

Conversas em que somente nós entendíamos,
O que restou de nós?

Carinhos e gestos que ficaram no passado,
O que restou de nós?

Os céus se fecharam, a tempestade arrasou todo o campo
que um dia foi florido.

Depois de tudo sobra-se apenas o frio intenso do inverno.

Porém me questiono se algum dia houve jardim florido,
ou se padecia há tempos no frio do outono sem perceber.

Afinal… O que restou de nós?