Ninguém é superior a ninguém

Certo dia, uma mulher avistou um mendigo, sentado em uma calçada nas ruas de São Paulo…
Aproximou – se dele, e como o pobre coitado, já estava acostumado a ser chacoteado por todos a ignorou…

Um policial, observando a cena, aproximou – se:
– Ele está te incomodando senhora?

Ela respondeu:
– De modo algum, eu é que estou tentando levá-lo até aquele restaurante, pois vejo que está com fome e até sem forças para se levantar. O senhor me ajuda senhor policial a levá-lo até o restaurante?

Rapidamente, o policial a ajudou e o pobre homem, mesmo assim não querendo ir, pois não acreditava que isso estava acontecendo. Chegando ao restaurante o garçom que foi atendê-los, disse sem pestanejar:
– Me desculpe Senhora, mas ele não pode ficar aqui… Vai afastar os meus clientes!

A mulher abaixou e levantou os olhos e disse:
– Sabe aquela enorme empresa ali na frente – apontou com o dedo – três vezes por semana, os diretores de lá juntamente com clientes vem fazer reuniões nesse restaurante, e sei que o dinheiro que deixam aqui é o que mantém esse restaurante. Pois é, eu sou a proprietária daquela empresa. Posso fazer a refeição aqui com o meu amigo… Ou não?

O garçom fez um gesto positivo com a cabeça, o policial que estava de longe observando ficou boquiaberto e o pobre homem deixou cair nesse momento uma lágrima de seus sofridos olhos.

Quando o garçom se afastou, o homem perguntou:
– Obrigado Senhora, mas não entendo esse gesto de bondade.

Ela segurou em suas mãos, e disse:
– Não se lembra de mim, João?
– Me parece familiar – respondeu – mas não me lembro de onde.

Ela, com lágrimas nos olhos, disse:
– Há algum tempo atrás, eu recém-formada vim para São Paulo… Sem nenhum dinheiro no bolso… Estava com muita fome… Sentei-me naquela praça aqui em frente, por que tinha uma entrevista de emprego naquela empresa onde hoje é minha. Quando se aproximou de mim um homem com um olhar generoso. Lembra-se agora João?

Ele, em lágrimas afirmou que sim.

– Na época o senhor trabalhava aqui, naquele dia fiz a melhor refeição da minha vida, pois estava com muita fome e até sem forças. Toda hora eu olhava para o senhor pois estava com medo de prejudicá-lo, pois estava ali comendo de graça. Foi quando vi o senhor tirando dinheiro do seu bolso e colocando no caixa do restaurante, fiquei mais aliviada. E sabia que um dia poderia retribuir, alimentei-me e fui com mais forças para a minha entrevista. Na época, a empresa ainda era pequena… Passei na entrevista, me especializei, ganhei muito dinheiro, acabei comprando algumas ações da empresa, e com o passar do tempo consegui virar a proprietária e fazer a empresa ser o que ela é hoje.
Procurei pelo senhor mas nunca o encontrei… Até que hoje, o vi nessa situação. Hoje o senhor não dorme mais na rua… Vai comigo para a minha casa… Amanhã compraremos roupas novas, e o senhor vai vir trabalhar comigo…

Abraçaram-se, chorando.

O policial, o garçom e os demais, que viam essa cena, se emocionaram diante da grande lição de vida, que tinham acabado de presenciar!

MORAL DA HISTÓRIA:
Faça sempre o BEM… Um dia ele retornará em dobro para você.

Texto retirado e adaptado de uma página da rede social Facebook.